Lilithfx

Eu adoro o natal.Minha mãe não lidava bem com ele,chorava e ficava triste,lembrando de todas as mazelas que tinha passado. No meu caso gosto de reunir amigos,principalmente desgarrados. Faço do natal uma festa repleta de amor e espírito de Deus. É uma oportunidade única de juntar pessoas de credos diferentes sem brigas ou discórdia. Gosto principalmente de como as pessoas ficam solidárias nessa época. Muitos podem pensar,mas isso acontece só no natal,e no restante do ano nada. Eu digo:Graças ao bom Deus que pelo menos acontece em algum dia do ano! Isso tudo é para falar sobre a campanha dos correios.Achei a iniciativa maravilhosa e convido quem lê esse blog ou não,para participar e tornar o mundo um pouco melhor,nem que seja somente durante o natal. Mas aviso logo,o maravilhoso da caridade é que ela faz mais bem pra você,do que aquele que recebe,tornando-se um hábito difícil de perder(graças a Jesus por isso). Maiores informações,segue o site da campanha abaixo e no blog tem o selo,é só clicar.
http://www.planetavoluntarios.com.br/nossas-acoes/papai-noel-dos-correios-2009
Lilithfx



No início era prazer.
Depois virou trabalho. Ma
s nunca deixou de ser afeto. Você está misturado de tal modo em minha vida, que não sei viver sem tê-lo por perto.
O eletrônico chegou,moderno. robusto, prometendo tomar seu lugar.
Porém, a mágica é virar suas páginas,
feitas de papel e amor.
Quando eu partir para outra galaxia, quero uma escada feita de todos livros que li e ainda vou ler, durante essa breve jornada chamada viver.


"Oh! Bendito o que semeia
Livros ... livros à mão cheia ...
E manda o povo pensar!
O livro caindo n'alma
É germe – que faz a palma,
É chuva – que faz o mar."

Castro Alves



CARPE DIEM!






Lilithfx

Dois dias inteiros de chuva.Moro numa ilha que não resiste muito tempo, se cai água demais do céu.
Pior é acordar e sair para trabalhar,vontade de ficar dormindo mais tempo na cama,ainda mais com o horário de verão.
Hoje é um dia ideal pra ficar em casa,assistindo um filme ou ouvindo música,comendo pipoca e tomando achocolatado quente, ao lado de quem você ama ou curtindo sua própria companhia.

Atualizando,5 dias de chuva!

DEIXA CHOVER


Composição: Guilherme Arantes

Certos dias, de chuva
Nem é bom sair
De casa, agitar
É melhor dormir...


Lilithfx

Sou fascinada por anjos.Adoro essa aura de mistério que envolve esses seres celestiais. Penso até em fazer uma tatoo, tal é minha identificação.
Porém existe um diferencial, meus anjos não são crianças com bochechas rosadas. cabelos encaracolados e asas.
Meus anjos são figuras andrôginas,sem sexo definido,cheio de imperfeições, mas com uma enorme vontade de ajudar e acertar.
Quando penso em anjo,não é algo distante, é o ser de luz ao meu lado, enviando energia positiva e filtrando outras tantas negativas.
Penso num amigo que more longe ou mesmo um próximo, que por algum motivo, aparece do nada,quando você tem mais necessidade de uma palavra amiga ou uma ajuda.
Posso ser uma boba,mas acredito no poder da oração aprendida nos tempos de criança


Oração do Santo Anjo

Santo Anjo do Senhor,

meu zeloso guardador,

se a ti me confiou

a piedade divina

sempre me rege,

me guarde,

me governe,

me ilumine,

amém!







Lilithfx

Que mistério uma noite de luar guarda?
Será o mar capaz de adivinha-lo?
Quem sabe a chave do mistério não esteja em nossas mãos.
Partilhamos com o mar, toda influência da lua.
Se a maré é vazante, mostrando a areia escondida.
Ou cheia,inundando a areia com sua espuma branca.
Em nós mulheres, o ciclo lunar é sagrado.
Marcando o início e fim da menstruação.
Tornando gatinhas mansas,lobas uivantes.
Para transforma-las numa questão de segundos,
em seres melancólicos e tristes,ao fitar o mar e a lua.


Tem um poeta,de alma feminina,que fez uma letra belíssima sobre essa relação entre o mar e a lua,duas palavras femininas.
E meus primeiros amores,acho que era lésbica mesmo antes de imaginar.

A letra é de Chico Buarque,e o vídeo de Simone e Zélia,duas mulheres que sabem cantar o mundo feminino.





Lilithfx
Hoje é meu aniversário, e pra comemorar junto aos amigos e aqueles que amo, um vídeo da Rita Ribeiro,canção de Vander Lee.

Contra o Tempo

Composição: Vander Lee

Corro contra o tempo
Prá te ver
Eu vivo louco
Por querer você
Oh! Oh! Oh! Oh!
Morro de saudade
A culpa é sua...

Bares, ruas, estradas
Desertos, luas
Que atravesso
Em noites nuas
Oh! Oh! Oh! Oh!
Só me levam
Prá onde está você...

O vento que sopra
Meu rosto cega
Só o seu calor me leva
Oh! Oh! Oh! Oh!
Numa estrêla
Prá lembrança sua...

O que sou?
Onde vou?
Tudo em vão!
Tempo de silêncio
E solidão...(2x)

O mundo gira sempre
Em seu sentido
Tem a cor
Do seu vestido azul
Oh! Oh! Oh! Oh!
Todo atalho finda
Em seu sorriso nú...

Na madrugada
Uma balada soul
Um som assim
Meio que rock in roll
Oh! Oh! Oh! Oh!
Só me serve
Prá lembrar você...

Qualquer canção
Que eu faça
Tem sua cara
Rima rica, jóia rara
Oh! Oh! Oh! Oh!
Tempestade louca
No Saara....

O que sou?
Onde vou?
Tudo em vão!
Tempo de silêncio
E solidão...(2x)




Lilithfx

Saudade (1899), por Almeida Júnior.
Diz a lenda que foi cunhada na época dos
Descobrimentos e no Brasil colônia esteve muito presente para definir a solidão dos portugueses numa terra estranha, longe de entes queridos. Define, pois, a melancolia causada pela lembrança; a mágoa que se sente pela ausência ou desaparecimento de pessoas, coisas, estados ou ações. Provém do latim "solitáte", solidão.


Crônica Saudade de Miguel Falabella ou Martha Medeiros,na internet,tudo é possivel.




Esses dias tenho andado com saudades. Saudades dos amigos que moram longe e fazem uma falta enorme em minha vida. Saudades dos amigos, que hoje em dia não posso chamar de amigos.Saudades de quem foi morar em outra galaxia e deixou apenas o amor como forma de ligação. Saudades do meu amor que mora distante.

Não sei se é a chegada iminente do meu aniversário, ou a falta do computador(quebrado mais uma vez),mas uma melancolia,com uma pitada de tristeza me nublam a alma se baixo a guarda. Resolvi escrever, quem sabe expondo meus sentimentos,essa saudade não passa.

Uma música linda do Melodia,diz um pouco sobre o que penso ultimamente:

Gotas de Saudade

Vai chegar a chuva, a chuva

Molha as minhas mãos

Gotas de saudade de uma paixão

Vem chegando a chuva, a chuva

Molha as minhas mãos

Vozes do passado vem do coração

Nem a distância dos rios

Que correm pro mar

Nem a força do dragão me fará hesitar

Com a distância dos dias que o tempo fará

O Sol seu calor, meu amor, vem me guiar, ou não...

Leiloei meu coração

Prá de longe você ver

Não é mais chuva de verão

Pensei em você....

Lilithfx
Por uma questão pessoal e profissional,adoro livros. Sou viciada em ler.
Bulas de remédio,romances lésbicos,contos eróticos,livros de ajuda,poesias e tudo aquilo que possa ma
tar meu tédio e despertar meu interesse.
Por conta dessa mania já entrei em algumas boas encrencas.
Minha casa,sempre foi como uma biblioteca,inclusive com parentes pedindo livros emprestados.
Eu,como boa amiga simpatizante/suspeita que era,guardava toda literatura gay dos amigos,incluindo revistas de nús masculinos e romances lésbicos.
Um belo dia,uma prima aparece na minha c
asa para pedir livros emprestados.Minha mãe,sempre solicita,separa alguns,incluindo um exemplar de uma história lésbica.
Pronto,se alguém tinha dúvida,confirmaram a teoria,eu era lésbica.
Essa notícia,correu a família inteira,eu era a sapa da família.
O mais engraçado é,que na época,minha orientação era hétero,só ficava com meninos.
Conclusão,a família sempre sabe,mesmo que você ainda não tenha a menor idéia.



(livro emprestado para querida prima)
Lilithfx
Estava eu em casa num final de semana e o meu telefone toca.

Amor,diz ela com voz de choro.

Que foi meu bem?Respondo eu, preucupada com o choro contido em sua voz.

Ela então canta a música todinha do clip abaixo e termina dizendo.Essa música faz eu lembrar de nós e de todo bem que eu sinto ao estar com você.

Confesso,se não estivesse perdidamente apaixonada por ela,teria sido eclipsada novamente por essa menina/mulher.

Assim é o amor, nos faz ir do inferno ao céu,numa fração de segundos.

Por isso,sempre é bom dizer, Amo-te doçura!




Lilithfx
"A vida é mais do que a soma de suas partes."

Passeando pela net,descobri esse cartaz de um filme,que chamou minha atenção imediatamente.

Durante a adolescência fiz minha primeira grande amiga.Fui estudar numa escola de nível médio,onde formavam-se professoras para o ensino primário.
Nem todas que estavam lá,tinham vontade de seguir essa carreira.Era um bando de mulheres bem diversificado,das mais novas,até senhoras casadas e com filhos.
Na sala,chamava atenção,uma dupla de alunas,cuja a amizade era enorme e que viviam juntas pelo colégio e fora dele.
O que atraiu fofocas e comentários das outras alunas e do corpo docente da escola.
Eu,sempre fui de falar com todo mundo e na escola não seria diferente,mantinha uma relação cordial com essas meninas,mas sem grandes aproximações.
Até que um dia,sou chamada na sala da orientadora da escola.
Eis que a orientadora pede meu auxilio,segundo ela,a "amizade" entre "Mariana" e "Rosana" era exclusivo demais,e isso não era bom,porque afastava outras pessoas do convívio de ambas.
Foi a primeira vez que deparei com o preconceito na minha vida,mas nada como a lei do retorno,só que isso conto em outro post.
Desse momento em diante,passei a andar e estar sempre junto com Rosana e Mariana,sem nunca perguntar ou afirmar algo sobre a sexualidade das duas.Eram minhas amigas e só isso bastava.
Concluímos o segundo grau juntas e nunca nenhuma das duas falou sobre uma relação.Eu tinha minhas certezas,mas sempre respeitei o silêncio imposto por elas.
A vida nos levou por outro caminhos.Ambas frequentavam um pré-vestibular,e eu fazia um curso de informática pra arrumar emprego.
Passeando na praia com minha mãe,encontrei Mariana andando de bicicleta por lá,e ela fala sobre fazer um curso noturno de contabilidade que faria junto com o pai,numa escola perto da minha casa.
Gostei da idéia e voltei a estudar com Mariana.Porém não entendia o sumiço da Rosana,já que ambas eram amigas inseparáveis.Sempre que perguntava algo sobre ela,Mariana desconversava.
Dois meses depois,surge Mariana com outra melhor amiga,uma guria estranha e andrôgina chamada "Marcela".
Marcela era simpática,mas não gostava que Mariana tocasse no nome Rosana.Tudo um mistério só,que atiçava minha curiosidade,mas que o senso de respeito e lealdade não permitia perguntar.
Um belo dia,no horário de uma aula vaga,eis que surge Rosana,acompanhada de outra guria chamada Adriana.Estavam a procura de Mariana,que por algum motivo,não tinha ido a aula.
O mistério começou a fazer sentido,quando contei sobre as visitas para Mariana, no outro dia.Ela muito triste,caiu no choro,dizendo que Rosana estava encrencada e que a mãe ia manda-la para morar com uma tia,numa outra cidade.
Quase 20 anos depois,contar isso,parece confuso e sem nexo,mas foi meu primeiro encontro com o mundo e o drama lésbico.
Hoje,cada uma traçou e seguiu um caminho,nem sempre aquele de início,mas ficou o respeito e a amizade de uma turma que está junta tem uns bons 18 anos e que passou por muitas alegrias e tristezas e permanece de pé.
Querem saber como cada uma está hoje,ou o fim dessa história,comentem.
Ela é verdadeira,apesar de na maioria das vezes,eu perguntar ou achar que é um livro de ficção.
Nada mais certo então que dizer "a vida é mais do que a soma de suas partes" . Ela é um emaranhado de histórias que o tempo escreve na alma.Beijo e cheiro.




Lilithfx



Recomeço

Um belo título para iniciar um post de volta. Por muitas e boas razões, estive afastada do blog,cujo nascimento era ainda prematuro.A vida real cobrou seu ônus e precisei ir a luta,mas sempre com a intenção de voltar aqui,onde posso explicitar tudo que habita esse universo chamado eu!
Uma boa amiga (graças a Deus,tenho algumas)incentivou a volta e aqui estou.O blog agora será mais explicito,falarei sobre assuntos que conheço,o mundo lésbico e tbm de outras questões que tocam minha alma e fazem ela vibrar.





Lilithfx

No início, era a folha em branco. Depois, veio o rabisco e um pequeno traço de vida surgiu. Aos poucos, o pequeno borrão feito pelo grafite do lápis-criador se tornou uma letra. Depois a solitária letra, ganhou irmãos e irmãs e surgiram palavras que se juntaram para contar uma história.

A história falava de um garoto e uma garota que viviam solitários, distantes, cada um em seu parágrafo, mas uma sucessão de pontos, vírgulas e conjunções os uniu e juntos viveram um romântico conto de amor.

Infortúnios também vieram. Um autor deprimido não escreve finais felizes. Sem piedade, Ele escreve a morte da garota. O garoto senta em algum canto escuro da página e passa o resto da vida chorando a tragédia vivida.

Mas a esperança não acaba nem mesmo com o FIM. Incomodado com o infeliz desfecho, o leitor, agora novo escritor, também pega uma folha em branco e recomeça uma nova vida...

Gustavo Samuel



Lilithfx


Me confundo com os lençóis na cama:
Insone
Noite após noite,
Após noite...
Insones noites .
Se é lua cheia
Me perco.

O leito não me tem mais
Entrego-me inteira
E incondicionalmente
Da forma que me é exigida.

Torno-me o que sempre quis.
Tudo é como desejo
E desejo tudo
Anseio o inimaginável
O que outrora era inconcebível,
Inaceitável talvez...

A palavra liberdade
Se torna ínfima
Diante do que tenho
E do que sou.
Se é lua cheia
Me encontro.

Ave Noturna
Lilithfx

Super Mulher

Ana Cañas

Composição: Jorge Mautner

Olha, ela fala, ela canta, ela grita, ela zanza
Ela tem aquela transa
Que eu não digo com quem é
Ela tem o rebolado
Tem o corpo tatuado
De uma figa da Guiné

Ela tem uma coleção
De animais bem perigosos
De animais muito orgulhosos
Lá da Arca de Noé
Ela tem uma pantera
Que ela arrasta na coleira
Ela gosta dessa fera
Porque é grande feiticeira
E seduz os corações

Super-Mulher
Super-Mulher
É de capa voadora
Domadora de Leões




Lilithfx

















A Igreja Católica tem séculos de perseguição às mulheres.
Amanhã, no dia Internacional da Mulher, um bom tema para reflexão é como a Igreja Católica, na figura do arcebispo de Recife e Olinda, dom José Cardoso Sobrinho, tratou o caso de um aborto efetuado numa criança de nove anos.
O padrasto (homem) foi perdoado, os padres pedófilos também são, mas nós mulheres, nossos sentimentos, quereres, são condenadas ao "fogo eterno" e reprimidos com uma intensidade jamais vista, a Inquisição continua ainda entre nós, essa é uma prova cabal.
Assim como fez na Idade das Trevas, a Instituição Católica mais uma vez é incoerente, em pleno século XXI, repete normas de séculos passados.
Em menos de um mês provou isso. Primeiro, ao condenar um padre que defende o uso da camisinha (em tempo de AIDS) e condenando uma mãe que autorizou o aborto na filha de nove anos. Menina essa, que tinha sido estuprada pelo padrasto e cuja gravidez representava risco de morte.
Sua mãe foi excomungada, junto com os médicos que praticaram essa "abominação".
Faz parte da linha conservadora adotada atualmente por quem tem o poder nas mãos, e seu principal representante é o Papa Bento XVI.
Saudades de João Paulo II, e seu amor pelas pessoas discriminadas, abandonadas e pecadoras como eu ou você, caro leitor.
Saudades da Teologia da Libertação, e seu discurso de formar fiéis conscientes e engajados em causas sociais.
Saudades de um tempo em que criança era criança, pura e sem erotização. E que o Estado cumpria o seu papel de protegê-las.
A sensação de fracasso é enorme, para onde estamos caminhando como ser humano, não possuo a menor idéia. Só posso tentar acreditar em um Deus do amor, não importa qual seu nome, imagem ou forma que assuma para quem acredita nele.
O fundamental é buscar a felicidade sem ferir ninguém, seguir crenças, respeitando quem pensa diferente.
"Amai-vos uns aos outros, como eu vos amei."

Lilithfx

Dedos, mãos, pele, boca.

Explicitam vontades, quereres.
Surpreendente a diversidade dos novos caminhos percorridos.
Espelho reflete espelho.
Juntas, gêmeas siamesas no sentir.

Oceano infinito de sensações...
Santificado pela pequena morte.

*”Petit Mort” ou Pequena Morte = êxtase ou gozo em francês


Para Jan sem precisar explicar muito.





gustavosamuel

Kadija percorre as ruas de Jerusalém sem nenhuma pressa. Não tem para onde ir, ninguém a espera em lugar algum. Ela ajeita o cabelo diversas vezes. Deixá-lo solto a incomodava um pouco. Não estava acostumada a perambular por aí sem seu véu, mas era esperta o suficiente para não revelar sua procedência árabe para as pessoas daquela cidade. Desde que chegara a Jerusalém, nunca deixou de lembrar das palavras que seu pai sempre repetia há vários anos: “Não suporto judeu e sei que eles também não me suportariam. Ai de um se cair na mão do outro”. Ela não entedia por que ele dizia isso, mas cada dia que passava, tinha mais certeza que o pai estava certo.

Um caça corta os céus e se dirige rapidamente para a região de Gaza. Ela observa a aeronave desaparecer nos céus com lágrimas nos olhos. Vira uma daquelas no dia em que sua casa fora destruída por um bombardeio.

Ela estava na casa do primo quando tudo aconteceu. Foi um dia incrivelmente bom, Abdul era o primo que mais gostava, o que contava histórias fantásticas de piratas, ladrões e princesas.

Kadija não entendia o que estava acontecendo, só tinha dez anos. Sua casa estava completamente destruída. A dos vizinhos também. Tudo o que fazia era chorar, pedindo o pai e a mãe.

- Eles vão pagar por isso, Kadija. Eles vão pagar.

Abdul ficava repetindo essas palavras sem parar. Dois dias depois, os dois foram até um acampamento de soldados israelenses. Abdul deixou Kadija escondida e murmurou em seu ouvido.

- Quando escutar um estrondo, corre para qualquer lugar.

- Aonde você vai?

- Fazer uma coisa por você. É por isso que você está aqui. Eu vou fazer isso por você. Israel mandou uma bomba para matar seu pai e sua mãe, agora eles tem que pagar.

Kadija não entendeu o que o primo disse, nem naquela hora nem agora, pois nunca mais o vira. Quando escutou uma explosão, ela correu como o primo mandou. Correu por muito tempo. Quando estava bem longe, viu um caminhão com as letras N U pintadas e se escondeu nele.

Quando o motorista a descobriu e a expulsou do esconderijo, ela já estava em Jerusalém. Sozinha, ela passou a andar de uma lado para o outro, tentando se virar para sobreviver em uma terra estranha.

O barulho das TVs na loja de eletrodomésticos chamou sua atenção para o presente. Ela sabia muito pouco da língua daquele povo, mas conseguia entender alguma coisa que diziam.

O noticiário dizia que o exército israelense vencera mais uma batalha contra o terror...

- Terror?

... Um léder terrorista do Hammas acabava de ser morto, segundo o jornal. Dizia ainda que os famigerados terroristas usaram bairros civis como escudo e que causaram a morte de muitos palestinos.

- Escudo? Civis?

Um menino, no colo do pai que assistia a notícia também, puxou a gola da camisa dele e perguntou:

- O que é terrorista?

- É alguém que pega uma bomba para matar gente boa.

- Ah.

- E Israel manda aviões para nos proteger.

- Terrorista é alguém que mata gente boa com uma bomba.

O pai da criança passa a mão na cabeça de Kadija e sorri para a garota:

- É isso mesmo.

Ele entrega uma moeda para ela e vai embora. Kadija fica repetindo a frase por um bom tempo. Alguns até a observam com estranheza.

- Terrorista mata gente boa com uma bomba. Israel manda aviões com bombas para matar o papai e a mamãe. Então, Israel é terrorista.

Um jovem escuta a última frase damenina e lhe acerta um tapa que a joga no chão. A queda faz a testa da menina sangrar.

- Projeto de terrorista.

Kadija não presta a atenção nos insultos do jovem. Não entendia nada. Sabia que tudo aquilo era ruim. Os judeus não a suportavam, por que ela era palestina. Estava sozinha. Falava a verdade e levava um tapa. Desistiu de se levantar, ficou estirada na rua. Lembrou de Abdul. Se ele estivesse ali, iria pedir que ele contasse uma história. E mesmo se fosse alguma muito assustadora, ela pensou, iria achar linda, pois nada era mais aterrorizante que viver naquele mundo de terror.

Por Gustavo Samuel

http://recantodasletras.uol.com.br/contos/1378132